O Ponto

A iniciativa integra o Programa Nacional de Cultura, Educação e Cidadania – Cultura Viva que “nasceu em 2004, visando estimular e fortalecer no corpo do país uma rede de criação e gestão cultural, tendo como base os Pontos de Cultura selecionados por meio de editais públicos, criado pelo do Ministério da Cultura (MinC), regulamentado pelas Portarias MinC nº 156 e nº 82, de 06 de julho de 2004 e de 18 de maio de 2005, executado pela Secretaria de Cidadania Cultural (SCC), que até 2008 se chamava Secretaria de Programas e Projetos Culturais (SPPC). Inicialmente o Programa era formado por cinco ações: Pontos de Cultura, Escola Viva, Ação Griô, Cultura Digital e Agente Cultura Viva. Todas elas vinculadas aos Pontos de Cultura e articuladas por eles. Com o passar dos anos e a evolução do Programa, outros prêmios e ações foram concebidos, sempre atrelados às necessidades e desenvolvimento dos Pontos de Cultura”

Dentre as atividades já desenvolvidas pelo Ponto de Cultura merecem destaque a realização de atividades direcionadas à divulgação, conscientização e redução de DSTs, alcoolismo, drogadição, prostituição, violência doméstica, estimulando a participação de adolescentes e jovens em situação de risco social, por intermédio de oficinas de teatro do oprimido em conjunto com a equipe de saúde na Terra Indígena Serrinha, oficinas com mulheres, artesãos e idosos para aprimoramento na confecção de artesanatos Kaingáng, como também a promoção de seminários e oficinas sobre a Proteção de Conhecimentos Tradicionais e Biodiversidade, promovidas desde 2006, abrangendo representantes das várias Comunidades Kaingáng do RS (contemplando a formação de capacidades na respectiva temática), em parceria com a Organização Indígena Instituto Indígena Brasileiro para Propriedade Intelectual – INBRAPI.

Em 2009 a iniciativa foi selecionada pelo Ministério da Cultura em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) como Prêmio Ponto de Valor, fruto do reconhecimento “de práticas inovadoras que desenvolvam ações com foco na formação e promoção de valores de vida, subsidiando a elaboração do Relatório de Desenvolvimento Humano Nacional (RDH)”. No mesmo ano, o Ponto de Cultura foi selecionado ao prêmio Bolsa Agente Escola Viva 2009 e Prêmio Interações Estéticas – Residências Artísticas em Pontos de Cultura 2009/Funarte-MinC (Projeto “Eg Nén Sinvi Hár” realizado em parceria com a artista plástica Juçara Valente), que graças a sua repercussão em 2010 teve a 2ª Edição – “Eg Nén Sinvi Hár” selecionada pelo Prêmio Interações Estéticas – Residências Artísticas em Pontos de Cultura 2010, que também foi selecionado ao Prêmio Cultura Digital 2010 – Esporos de Pesquisa e Experimentação/MinC (Projeto Pedagógico “Fág” Digital). Atualmente o Ponto de Cultura desenvolve o projeto Ação Griô Nacional com apoio do Grupo Kanhgág Kanhró, o Ponto de Leitura (selecionado no Concurso Pontos de Leitura 2008 – Edição Machado de Assis/MinC) e o Pontinho de Cultura Kanhgág Kãsir (selecionado no Prêmio de Ludicidade / Pontinhos de Cultura 2008/MinC).

O Ponto de Cultura Kanhgág Jãre também merece destaque por ser o único Ponto de Cultura da região Sul, sob responsabilidade de uma organização indígena, direcionado ao fortalecimento e valorização da cultura do Povo Kaingáng da região.